Vereadora afastada por ‘rachid’ é proibida de voltar ao cargo

Rosinha Guerreira (PSDC) deveria voltar nesta quarta (4), mas a Justiça frustrou seus planos

A Justiça determinou o afastamento da vereadora de Linhares Rosa Ivania Euzebio dos Santos (PSDC) – conhecida na cidade por Rosinha Guerreira – por 180 dias, pela apropriação dos salários dos servidores que atuavam no gabinete dela na Câmara Municipal de Linhares, prática conhecida como “rachid”. A acusação de improbidade administrativa partiu de uma ação civil pública feita pelo Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES).

Com a medida, foram bloqueados os bens da vereadora e de oito réus, de forma a garantir o ressarcimento aos cofres públicos. A decisão determina, ainda, o desconto em folha de pagamento de 30% do subsídio da vereadora, devendo ser comunicada ao presidente da Câmara para que esse valor seja depositado em juízo.

Rosinha Guerreira foi presa na Operação Salário Amigo, deflagrada em 26 de fevereiro deste ano pelo MPES, que teve como objetivo combater o crime de corrupção por meio da prática de “rachid”. Ela já estava afastada do cargo, por decisão da Justiça, mas o prazo se encerrou ontem, dia 3 de julho.