Deputados estaduais dão seus pitacos sobre eleição para presidente

“É a pior eleição da era democrática”, opinou Sergio Majeski (PSB)

No próximo domingo (28), os brasileiros definirão o novo Presidente da República. A proximidade do pleito levou os deputados a comentarem sobre a polarização da campanha presidencial neste segundo turno. As eleições nacionais foram o principal tema dos discursos na sessão desta quarta-feira (24) na Assembleia Legislativa.

Para o deputado Sergio Majeski (PSB), o extremismo e a falta de aprofundamento estão balizando a escolha dos cidadãos: “Discutiram-se as coisas mais tolas possíveis: ideologia de gênero, kit gay, moralização da família”, comentou. Para ele, outros temas seriam muito mais relevantes, como o desemprego, as reformas previdenciária e tributária, saúde e educação. “É a pior eleição da era democrática pós-1985”, opinou.

 

Padre Honório (PT): “Precisamos fazer uma meditação mais profunda nas consequências que poderão surgir depois de uma escolha feita”

 

O deputado Padre Honório (PT) também comentou sobre a ausência de um debate mais aprofundado para que o cidadão possa tomar sua decisão: “Precisamos fazer uma meditação mais profunda nas consequências que poderão surgir depois de uma escolha feita. As pessoas estão muito mais preocupadas com seus próprios interesses do que com a situação do povo brasileiro, principalmente com os mais pobres”, disse.

Por fim, a deputada Cláudia Lemos (PRB) falou sobre a importância de se defender a democracia brasileira. “Em pleno século XXI, vemos a intolerância em uma democracia duramente conquistada. Precisamos respeitar as divergências, mas precisamos respeitar, sobremaneira, o que está no nosso texto constitucional”, pontuou.