Multinacional de Singapura irá investir R$ 500 milhões em fábrica de café no Estado

Dois municípios capixabas estão na briga para receber o empreendimento que irá produzir café solúvel

O governador Paulo Hartung recebeu, nesta quarta-feira (31), a confirmação oficial de representantes da Olam Internacional de que a empresa singapuriana vai investir 130 milhões de dólares (cerca de R$ 500 milhões na cotação atual), para construir uma fábrica de café solúvel no Estado.

Estão na disputa para receber o empreendimento os municípios de Colatina e Linhares.

A Olam Internacional é uma multinacional de Singapura com atuação global na comercialização em setores como café, especiarias, açúcar, grãos e nozes, bem como na produção agrícola em terras brasileiras. Mais informações sobre a nova fábrica de café que será construída no Espírito Santo não podem ser detalhadas nesta fase da negociação, segundo fontes do governo do Estado.

A Olam Coffee opera em solo capixaba desde 2005, trabalhando com a exportação de todas as qualidades de café. Em 2012, abriu um armazém próprio em Nova Venécia, com foco na comercialização de Conilon. Já a unidade de Muniz Freire, inaugurada neste ano, é voltada para a exportação de café Arábica. O armazém tem, ao todo, 47 mil metros quadrados de área, sendo 11,2 mil metros quadrados de área construída.