Hartung eleva o tom contra a Vale e Temer

“Esse governo não tem legitimidade para conduzir um processo tão importante”, disse o governador

Com a certeza vinda do governo federal de implementar na região Centro-Oeste o investimento que a mineradora Vale fará para renovar com antecedência a concessão da ferrovia Vitória-Minas, o governador Paulo Hartung (MDB) elevou o tom e exigiu que a empresa ofereça uma contrapartida aos cidadãos capixabas. Ele considera que a nova ferrovia ligando Vitória a Presidente Kennedy seria uma compensação feita pela mineradora ao Estado após muitos anos de poluição ambiental.

“É uma coisa profundamente injusta, porque o impacto da presença da Vale é no Espírito Santo, e não é pequeno. A poluição da Vale não é de pequena monta no nosso Estado. A possibilidade de a Vale deixar um legado para o Espírito Santo, depois desses anos todos de escoamento de produção pelo nosso território, é agora. Nós temos o pó preto e numa hora de renovação dessas, que se pode receber um investimento estruturante para o nosso futuro, isso ser levado para o Brasil central é muito injusto”, disse o governador ontem no Palácio Anchieta.

O governador ainda desabafou: “Se a gente perder, seguramente, vamos ficar apenas com esse impacto que traz tantos prejuízos à vida dos capixabas. Esse governo não tem legitimidade para conduzir um processo tão importante”, afirma o emedebista se referindo ao presidente Michel Temer.