Gol é condenada a indenizar passageiro capixaba

Empresa cancelou o voo do cliente alegando mal tempo. Mas no dia em questão, operação no aeroporto estava normal

Um passageiro deve ser indenizado, em mais de R$ 2 mil, pelos danos morais e materiais sofridos, pela companhia aérea Gol após ter um trecho do voo, com origem em Vitória e destino para Brasília, cancelado pela empresa por problemas meteorológicos.

No processo, o homem alegou que a Gol não deu a assistência necessária e nem fez a sua realocação em outro voo. Além disso, ele contou que outras aeronaves foram operadas e saíram normalmente de Vitória, o que contradiz a alegação feita pela empresa, de que o cancelamento ocorreu por conta do mau tempo.

Em contestação, a companhia aérea explicou que não poderia ser responsabilizada pela situação, uma vez que o cancelamento aconteceu por motivos de segurança, já que as condições meteorológicas de Vitória estavam precárias no dia.

Diante do exposto, o juiz da Vara Única da comarca de Venda Nova do Imigrante julgou parcialmente procedente o pedido do passageiro e condenou a Gol Linhas Aéreas ao pagamento de indenização por danos materiais no valor de R$ 949,00, e de R$ 2 mil, pelos danos morais sofridos com a situação.

Na decisão, o magistrado justificou que não ficou demonstrado nos autos que o cancelamento do voo aconteceu em razão de impedimentos meteorológicos, uma vez que não foi juntado ao processo um mapa das condições climáticas que comprovem a ocorrência de chuvas fortes e trovoadas no dia do ocorrido. Assim, ficou caracterizada falha na prestação de serviço da empresa.