Criar um filho em Vitória custa quase R$ 1 milhão

Custo com a criação de um filho na capital custa R$ 747 mil (do nascimento aos 23 anos de idade)

A decisão de aumentar a família – sobretudo, quando o assunto é custo – tem passado cada vez mais pela calculadora. E isso bem antes da gestação. A maternidade não deixou de ser uma dádiva, nem o amor perdeu a importância, mas a segurança financeira da família se tornou o “terceiro elemento” desta relação, principalmente no cenário como o atual, onde a recuperação econômica patina e o mercado de trabalho ainda não reagiu às medidas macroeconômicas. Não custa lembrar, o sonho de ter um filho implica uma realidade de maiores gastos com alimentação, educação, vestuário, lazer e saúde.

Para ajudar homens e mulheres a se planejarem financeiramente para a maternidade e a paternidade, a plataforma de finanças pessoais IQ360 criou um simulador que projeta as despesas do rebento, do nascimento até quando complete 23 anos.

De acordo com a ferramenta A História do Seu Filho, a depender da idade, padrão de vida e sexo, o custo médio em Vitória para criar um filho durante este período é de R$ 747.325 mil, ou seja, quase um milhão de reais.

 

Ferramenta faz uma estimativa de custos com um filho de acordo com a cidade em que ele será criado

 

Orçamento

Segundo a ferramenta, a despesa com os filhos até que eles cheguem à fase adulta é o que mais compromete o orçamento familiar.

“Gastos com a educação e plano de saúde são os que mais pesam no bolso dos pais. Sabendo previamente quanto vai custar cada categoria na região onde vivem, os pais podem fazer escolhas mais certeiras do que é ou não prioridade para o desenvolvimento do seu filho e se planejar de acordo”, destaca o especialista Felipe Mourinho.

Para ele, por mais desafiadora que seja a tarefa de conciliar estes gastos com os desejos de consumo, a estratégia é manter o planejamento financeiro e construir uma reserva financeira. “Umas das tarefas mais difíceis é fazer estas escolhas financeiras. Boa parte dos pais quer dar sempre o melhor para seus filhos e acaba associando o melhor com o mais caro, mesmo sem poder arcar com esses gastos”, diz.

“É importante que os pais alinhem as prioridades que querem dar ao desenvolvimento dos seus filhos e façam suas escolhas. O melhor para os filhos vai depender da criação que os pais querem dar a eles”, completa o especialista.