10 mandamentos para economizar na compra do material escolar

Confira superdicas para pais e responsáveis gastarem menos, uma vez que a diferença de valores entre uma loja e outra pode chegar a 451%

Famílias que quiserem gastar menos com a lista de material escolar das crianças devem fazer as compras ainda este ano, para fugir dos reajustes e aproveitar as liquidações. A estimativa é que os itens pedidos pelas escolas fiquem, em média, 10% mais caros em janeiro, segundo os cálculos da Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (Abfiae). Para ajudar os pais e os responsáveis a gastarem menos, reunimos dez dicas de especialistas para as compras antes da volta às aulas.

Haroldo Monteiro, professor de Finanças Corporativas, sugere que as compras sejam feitas na semana entre o Natal e o réveillon.

“Depois que passa o Natal, o comércio fica menos aquecido, e pode ser mais fácil encontrar preços melhores”, avalia o especialista, que recomenda também que os pais evitem itens com personagens de desenhos animados e filmes, em geral mais caros, e reutilizem os materiais de anos anteriores.

A advogada Dianne Medeiros, de 48 anos, já está começando a pesquisar os preços do material escolar para a filha Lara, de 12.

“Prefiro comprar antes de virar o ano, que além de ser mais sossegado, tem preços mais baixos”, disse ela, que também busca reduzir os itens da lista de material escolas: “Aproveito ao máximo o que sobra do ano anterior e evito comprar itens como estojo e pasta todo ano”.

A também advogada Manoela Brandão contou que tenta comprar o máximo possível da lista de material escolha nos primeiros dias do mês. E ela não deixa de pechinchar um desconto no pagamento.

“Busco comprar o mais cedo possível. O ideal é tentar um desconto no pagamento à vista, mas, se não for possível, pode valer a pena parcelar em várias vezes, desde que seja sem juros”, afirmou Manoela.

Algumas lojas oferecem preços diferentes para compras no atacado, ou seja, mais uma forma de economizar.

A enfermeira Valéria Ribeiro, de 41 anos, este ano vai sugerir ao grupo das mães da escola do filho que as compras sejam feitas em conjunto: “Podemos aproveitar os preços do atacado, e a lista fica menos pesada financeiramente para todos nós”, afirmou.

 

Dicas dos especialistas

> Priorize as compras entre o Natal e o Réveillon

> Dê preferência a produtos simples, sem estampas de personagens

> Reaproveite o que for possível do ano anterior

> Pague à vista e peça desconto, sempre que possível

> Reúna diversos pais e vá às compras no atacado

> Planeje-se com antecedência. Guarde parte do 13º para a compra do material

> Pesquise os preços em diferentes lojas (físicas e virtuais)

> Se puder, não leve as crianças às compras para evitar gastos supérfluos

> Se a lista for grande, divida-a em duas ou três partes. Pergunte à escola o que é essencial nos primeiros meses do ano

> Aproveite grupos criados em redes sociais para a troca de itens